Search

O Terceiro cenário


Muito se tem discutido, recentemente, acerca do processo eleitoral Guineense. O novo primeiro-ministro está com dificuldades em garantir um processo de recenseamento transparente e justo. O  desentendimento sobre a impressão dos cartões fora da Guiné-Bissau e a forma como serão distribuidos posteriormente (terceiro cenario) .  Este processo não é muito fiavel. Tudo isto indica a divisão e a falta de confiança que ainda permanece no seio político guineense. PDD, Partido Democrático para o Desenvolvimento fez uma boa leitura da situação. Argumentam que o terceiro cenário exclui os partidos políticos sem assento parlamentar; afasta e limita as possibilidades de participarem no processo eleitoral. O PAIGC justifica que dos três cenários apresentados pela comunidade internacional só a terceira opção é que poderá garantir as eleições na data marcada. O PRS alega que o terceiro cenário cria condições para fraudes,e os elementos que assistem o cenário em questão, viola a nossa lei eleitoral. Conclusão A terceira opção é uma proposta sem fundamento e a comunidade internacional por ética, devia encorajar cenários que promovam o respeito pelas normas democráticas. Portanto, imprimindo os cartões na Guiné, as nossas políticas e  instituições modernizarão  e  beneficiarão do “knowledge” ou “Skills” que adquirirem no processo. Não percebo porque é que a comunidade internacional e o PAIGC  apresentaram  a dita “terceira opção” a nação Guineense. A forma como a CEDEAO sancionou as 19 personalidades guineenses, demonstra a sua parcialidade nas linhas de construção da paz na Guiné Bissau. No passado, tivemos eleições justas e transparentes, os cartões foram imprimidos em Bissau. Na verdade, o PAIGC tem de começar a dar mais confiança as nossas instituições governamentais. As alegações de fraudes expostas pelo PAIGC e o PRS devem ser ouvidas e analisadas. A CNE e a comunidade internacional devem estabelecer mecanismos que minimizem ou eliminem as irregularidades durante o processo eleitoral. As manobras políticas que estão a ser estabelecidas pelo PAIGC não devem ser toleradas. Enfim, o PAIGC não quer as eleições em novembro porque poderão perder votos ou as eleições.


29 views

A Consciência Social

©2018 BY A CONSCIÊNCIA SOCIAL.